Depressão masculina: Como lidar e ajudar o seu parceiro com a doença

Embora cada vez mais comum, a depressão masculina ainda é um assunto, infelizmente, pouco explorado. É fato que esse quadro pode apresentar elementos extremamente particulares, principalmente em relação a um comportamento mais reservado.

Além disso, é de conhecimento geral, que a depressão pode ser associado à causas de caráter orgânico. Nesse caso, ela pode ser resultante de combinações associadas a fatores de um histórico pessoal, bem como traços de personalidade, elementos externos e até mesmo culturais. Por outro lado, trata-se também de um elemento muito silencioso, capaz de corroer a capacidade de manter prazer pela vida, negatividade e até mesmo resiliência diante de inúmeros impasses.

Vale lembrar que nossa sociedade culturalmente tende a estabelecer imagens simbólicas do que é de fato o sucesso e também o fracasso – isso é ainda mais latente quando se é baseado no gênero.

O mesmo vale para a religião, instrução e até mesmo uma série de outras características que são submetidas à uma supervalorização. Nesse caso, em uma eventual quebra de braço entre pressões externas e capacidades internas em corresponder essa soma de expectativas, é mais recorrente que os homens acabem lidando com condições mais nocivas do que as mulheres.

Por um lado, o que pesa para elas como o fato de estarem solteiras ou não serem mães não é uma pressão comum para eles. É até mesmo o fato de serem mais livres e independentes consiste em um peso maior para as mulheres do que para os homens. Mas, para eles, o peso segue um outro caminho.

O grande ponto de discussão esbarra ainda em outros aspectos. É válido lembrar que os homens, de maneira geral, são mais resistentes em buscar ajuda diante de um quadro de depressão. Ao sentir-se deprimido, é muito mais comum que ele chegue por conta própria à conclusão de que está cansado, que o trabalho está difícil, que existe uma maior irritação e por isso o controle não tem sido mantido, entre outros. E, tudo isso, pode ganhar proporções graves para a saúde mental.

Um dos primeiros sintomas da depressão masculina

depressão masculina

Um dos primeiros sintomas comuns na depressão masculina é não se  estabelecer a capacidade em reconhecer esse quadro por conta própria. Na maioria das vezes pode-se até afirmar que o problema enfatiza um ponto cego. Ou seja, consiste em não se admitir que haja uma evidente fraqueza emocional.

O pensamento social também é responsável por favorecer isso. Muitos podem defender de imediato que um homem possa estar aborrecido ou simplesmente fora de si, mas jamais admitir que há um abalo emocional e que precise ser tratado. Outro ponto recorrente é a dificuldade em se admitir o que sente – e, se o que é sentido depende de cuidados. Por isso, a negação, acaba sendo o primeiro sintoma e obstáculo quando se trata da depressão masculina.

A importância do vocabulário emocional

É importante explorar o que o vocabulário masculino pode evidenciar. Em sua maioria, os homens tendem a agir de maneira a tentar restringir seus sentimentos e fraquezas. Além disso, sensações coporais podem dizer o oposto do que se quer afirmar.

Menções e comportamentos comuns “estou muito cansado”, “sinto algo estranho no peito” e outros, são associados como algo recorrente, que não depende de preocupação ou tratamento. Assim como as mulheres, os homens também são acometidos por dores emocionais, e isso também se reflete e sua saúde física e mental.

O rendimento profissional é um forte indicio da depressão masculina

depressão masculina

Por conta de uma maior restrição de seus valores emocionais, torna-se mais comum identificar a depressão masculina quando ele demonstra um menor rendimento profissional. Além disso, é comum ocorrer uma mudança no relacionamento familiar e amoroso.

Outros fatores também podem se tornar mais rendimentos, principalmente se associados à hábitos nocivos como o alcoolismo, uso de substâncias químicas ou até mesmo se ele demonstrar estar fisicamente debilitado.

Atenção especiais aos sinais

depressão masculina

Pessoas próximas poderão ser vitais em analisar mudanças comportamentais que possam atestar uma depressão masculina. Observar o parceiro, por exemplo, é importante para compreender se ele está vivenciando apenas um momento de tristeza ou se está vivenciando um quadro de depressão.

Vale lembrar que a tristeza pode ser sempre impulsionada por algum acontecimento. Isso pode ser associado, por exemplo, à perda de um parente querido ou até mesmo com um problema na carreira. Por outro lado, com a depressão isso é diferente.

Por isso, é importante certificar outras alterações. Isso pode se refletir na alimentação – ele pode estar comendo demais ou até mesmo de menos. O ponto aqui é levar em conta um cenário extremo.

O sono também pode ser um indicio importante. Assim como a alimentação, dormir demais ou não de menos pode indicar que exista algum colapso. Além disso, crises de ansiedade, perda de memoria, isolamento e irritabilidade excessivas podem indicar que ele precise de ajuda.

Por que é tão importante evitar a negligência  emocional?

Ignorar sentimentos e inquietação pode acarretar inúmeros problemas de saúde. Além disso, é importante ter cuidado para que a depressão masculina não acabe desenvolvendo outras síndromes graves.

Reprimir apreensões da rotina cotidiana podem proporcionar problemas de saúde físicos, como tremores, ataques de pânico, desmaios e até mesmo crises de choro. Pode até mesmo ocorrer de a pessoa precisar da entrada em uma emergência hospitalar para tratar males como esses – ou até mesmo desencadear uma síndrome, como a de  burnout, por exemplo.

Por esse motivo, buscar ajuda emocional e prestar apoio a quem sofre de depressão é um passo crucial para retomar a saúde e bem-estar. Aliás, o apoio é um ponto crucial para quem revela sinais de uma depressão masculina. Um terapeuta pode proporcionar toda a orientação adequada e ajudar a identificar os motivos que acarretam um quadro como esse.

Veja também: Reprogramação mental: O que é e como funciona o processo

COMPARTILHE:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on tumblr
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on telegram

Post relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abrir chat
Precisa de ajuda?
Olá! Posso ajudar?